Águas de Oxalá preparam Olinda para o carnaval e arrastam multidão

O cortejo do Águas de Oxalá retornou à Igreja do Bonfim, em Olinda, após seis anos de lavagem nas escadarias da Igreja da Sé, no Sítio Histórico da Cidade Alta. O templo religioso foi reaberto em 2018, após seis anos fechado. Na cerimônia, mães, pais e filhos de santo pedem paz e proteção para o carnaval 2019.

O cortejo, que arrastou uma multidão, saiu da Igreja do Bonfim e desfilou pelas ruas do Sítio Histórico, por um percurso de 1,5 quilômetro que contempla Rua e Largo do Amparo, Largo de Guadalupe e Vila Popular.

Águas de Oxalá abrem carnaval em Olinda — Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press

Águas de Oxalá abrem carnaval em Olinda — Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press

A tradição da lavagem começou com os escravos, que queriam celebrar as divindades africanas e, para não serem proibidos pelos senhores, colocaram santos católicos misturados ao ritual.

Músicos desfilam em meio à multidão que acompanha as Águas de Oxalá em Olinda — Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press

Músicos desfilam em meio à multidão que acompanha as Águas de Oxalá em Olinda — Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press

O babalorixá Raminho de Oxossi, de 83 anos, é o mentor e celebrante do movimento. Ele é o mentor espiritual das Águas de Oxalá desde seu início nas ladeiras de Olinda.

“Começamos aqui e só estávamos na Sé porque a igreja estava em conserto. Vamos todos pedir a Oxalá para sermos felizes. Para que o ano vindouro nos faça alcançar tudo o que queremos na vida”, diz.

Segundo Sílvio Botelho, um dos organizadores do Águas de Oxalá, o evento representa a abertura do ano, além de uma celebração da paz.

Para ele, a lavagem da escadaria também mostra o respeito entre as religiões de matriz africana e a Igreja Católica, já que, neste ano, a igreja manteve a porta aberta para a celebração e os sinos foram replicados quando Pai Raminho soltou as pombas que representam os cinco continentes.

Águas de Oxalá levou multidão às ladeiras de Olinda — Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press

Águas de Oxalá levou multidão às ladeiras de Olinda — Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press

Em frente à Igreja do Bonfim, em Olinda, multidão recebe bênção das Águas de Oxalá — Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press

Em frente à Igreja do Bonfim, em Olinda, multidão recebe bênção das Águas de Oxalá — Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press

Sombrinhas de frevo são símbolo do carnaval de Pernambuco — Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press

Sombrinhas de frevo são símbolo do carnaval de Pernambuco — Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press

Cortejo do Águas de Oxalá tomou as ruas do Sítio Histórico de Olinda — Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press

Cortejo do Águas de Oxalá tomou as ruas do Sítio Histórico de Olinda — Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press

Bênção das Águas de Oxalá ocorre há 36 anos em Olinda — Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press

Andor levou a imagem católica do Senhor Salvador do Mundo, que representa o orixá Oxalá, em Olinda — Foto: Marlon Costa/Pernambuco PressAndor levou a imagem católica do Senhor Salvador do Mundo, que representa o orixá Oxalá, em Olinda — Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press

Andor levou a imagem católica do Senhor Salvador do Mundo, que representa o orixá Oxalá, em Olinda — Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press

Cortejo de Águas de Oxalá é realizado em Olinda — Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press

Cortejo de Águas de Oxalá é realizado em Olinda — Foto: Marlon Costa/Pernambuco Press

Deixe uma resposta