Artistas negros são valorizados na categoria de melhores coadjuvantes

Por Correio Braziliense

Regina King, atriz coadjuvante premiada (pela interpretação no longa Se a rua Beale falasse), ofertou, até o momento, o discurso mais inclusivo, ao agradecer o prêmio ligado ao longa de Barry Jenkins, um grito contra a proliferação do racismo. “Pela primiera vez na tela, meu filho se disse capaz de se reconhecer”, comentou. Ela ainda fez menção de “falar em nome de todas” e garantiu que, nos próximos dois anos, irá assegurar a produção de fitas em que, ao menos, “50% da equipe seja de mulheres”. No palco, desafiou “os poderosos” a que eles, por si, se desafiassem, perseguindo atitude inclusiva similar. Melhor ator coadjuvante, Mahershala Ali (de Green Book: O guia) também não esqueceu das mulheres: agradeceu “esposa, mãe e avó”.

Deixe uma resposta