Calendário Afro Julho de 2109 – Prof. Guilherme Botelho Júnior


Padroeira de todas as Rússias – O ícone de Nossa Senhora de Kazan, em estilo grego-bizantino, teria sido pintado, segundo os especialistas, em Constantinopla, no século XIII.

Estamos lhe enviando a agenda de afro-eventos do mês de julho/2019 e solicitamos que além de comparecer e prestigiar estes encontros ajude-nos a divulgá-los compartilhando-os em sua rede os dispondo para vossos contatos.

Mo jubá! Axé!

Paz e bem Afro

Guilherme Botelho Junior – siga-me no facebook

Teólogo e historiador. OBA do Senhor SANGO

(16) 98244-3171 & (11) 9.98049-7256

 

S A N T O R A L – A F R O

DIA 08 – Nossa Senhora de Kazan

DIA 13 – Santo Eugênio

DIA 31 – São Justino de Jacobis

MEMÓRIA DO MÊS

Dia 03 – Lei Afonso Arinos – Lei 1.390-51

DIA 07 – Leitura em frente ao Teatro Municipal de São Paulo da carta aberta à nação contra o racismo, evento que marca o início das atividades do Movimento Negro Unificado contra a Discriminação Racial, que depois se tornará no MNU

DIA 10 – Abolição dos escravizados na Amazônia – 1884

DIA 15 – 1ª. Conferência sobre a Mulher Negra nas Américas – 1984 Equador

DIA 20 – Lei 12.288-10 – Estatuto da Igualdade Racial

DIA 25 – Dia Internacional da Mulher Negra Americana e Caribenha

E  V  I  O – R E C A D O

  

DICAS DE FILMES PARA SER USADOS NA LUTA PELA

IGUALDADE DE DIREITOS E DE OPORTUNIDADES

Nacionais: QUILOMBO – Cacá Diegues; FILHAS DO VENTO – Joel Zito Araujo; OS DOZE TRABALHOS DE HERCULES – Ricardo Elias; ABOLIÇÃO – Zozimo Bulbul; O FIO DA MEMÓRIA – Eduardo Coutinho; BAHIA DE TODOS OS SANTOS – Trigueirinho Neto; COMPASSO DE ESPERA – Antunes Filho; A TENDA DOS MILAGRES – Nelson Pereira dos Santos; A DEUSA NEGRA – Ola Balogun; PIXOTE: A LEI DO MAIS FRACO – Hector Babenco; OLHOS AZUIS – José Joffily; O AMULETO DE OGUM.

Internacionais: INVICTUS – Clint Eastwood; UM GRITO DE LIBERDADE (Steven Bantu Biko) – Richard Attenborough; AMISTAD – Steven Spielberg; A COR PURPURA – Steven Spielberg; A AUTOBIOGRAFIA DE MISS JANE PITTMAN; MALCOM X; TEMPO DE MATAR; MISSISSIPI EM CHAMAS; ADIVINHE QUEM VEM PARA JANTGAR; AS BARREIRAS DO AMOR; UMA OUTRA HISTÓRIA AMERICANA; HOTEL RUANDA.

Curta METRAGEM: De volta para casa – Adriana Santos e Jorge Moreno; Mãos e cérebros negros – Daniel Caetano; A exceção e a regra – Joel Zito Araujo.

Documentários: A negação do Brasil – Joel Zito Araujo; O xadrez das cores – Marco Schiavon.

OPERA NEGRA BRASILEIRA: ALABE DE JERUSALÉM – Altayr Veloso.

 

L I V R O S – essenciais para formação Afro Católica

BÍBLIA EM NEGRITUDE – Pistas para uma leitura afro-descendentes. Organizador: Edimilson Schinelo.

NEGRA SIM, NEGRO SIM, COMO DEUS ME CRIOU – Leitura da Bíblia na perspectiva da negritude. Autor: Ildo Bohn Gass & outros.

RELENDO RAÇA, BÍBLIA E RELIGIÃO. Autor: Peter Nash.

A PALAVRA NA VIDA no. 223 – Semente teimosa. Roteiro para Círculos Bíblicos sobre negritude. Autor: Cláudio Eduardo Rodrigues & outros.

A PALAVRA NA VIDA no. 227 – Em nome da identidade. Uma leitura de Gênero, Ecumenismo e Negritude. Roteiro para encontros bíblicos. Autor: Adeodata Maria dos Anjos & outros.

Como adquirir: CENTRO DE ESTUDOS BÍBLICOS – CEBI. www.cebi.org.brvendas@cebi.org.brcebi@cebi.org.br; fones: (51) 3568-2560 & (51) 3568-3225.

 

C A L E N D Á R I O

Não deixe vago o seu lugar!

 

===============================

DIA 02 às 19H30

PASTORAL AFRO DA ARQUIDIOCESE DE RIBEIRÃO PRETO

Encontros de formação: Projeto de restauração e reestruturação da Pastoral Afro-brasileira da Pastoral Afro-brasileira da Arquidiocese de Ribeirão Preto e Forania

         local: Centro Pastoral Arquidiocesana

          Rua Tibiriça, 899 – Centro – Ribeirão Preto-SP

=============================

 

DIA 02 às 19H

LANÇAMENTO DO LIVRO:

PENSANDO COMO UM NEGRO – ensaio de hermenêutica jurídica

autor: ADILSON JOSÉ MOREIRA

No dia 02 de julho acontecrá o lançamento do livro “Pensando Como um Negro: Ensaio de Hermenêutica Jurídica”, do professor Adilson José Moreira. Haverá debate com o autor e os professores Gislene Aparecida dos Santos e Dimitri Dimoulis.
“Por meio de um estudo integrado entre narrativas pessoais e análises teóricas, este livro revela a importância do pertencimento social na hermenêutica jurídica.
Nele se aborda um tema ausente nas reflexões sobre hermenêutica no nosso país: o papel da raça no processo de interpretação jurídica. A relevância desse tópico decorre do seu lugar central na discussão sobre a legalidade de medidas de inclusão racial e também dos debates sobre as disparidades de tratamento entre grupos raciais no sistema penal.
Afirma-se, com grande eloquência, a necessidade de considerarmos a experiência de minorias raciais como parâmetro normativo para a análise do princípio da igualdade, um requisito para o alcance da justiça racial na nossa sociedade.”
Adilson José Moreira é Master of Laws pela Faculdade de Direito de Harvard (2005). Doutor em Direito Constitucional Comparado pela Universidade de Harvard (2013). Doutor em Direito Constitucional pela UFMG (2007). Pesquisador Visitante na Faculdade de Direito da Universidade de Yale (2002 – 2003). Professor Universitário em São Paulo.

local: TAPERA TAPERA

          Galeria Metropole – Rua São Luiz, 187 – 2o. andar – sala 29 – Centro – São Paulo-SP

=================================

 

DIA 02 às 18H30

DEFESA PÚBLICA DE TRABALHO DE CONCLUSÃO DE CURSO

aluna: MIREILE SILVA MARTINS

orientadora: Profa. LUZILENE MARTINIANO

tema: A questão étinoco-racial e a emergente  necessidade de luta antirracista

           no processo de formação em Serviço Social da Universidade Federal de

           Uberlândia-MG – Campus Pontal

local: Universidade Federal de Uberlândia-MG

           Campus Pontal – Auditório 3

=============================

 

DO DIA 05 até 14 às 19H

COSMOGONIA AFRICANA: A VISÃO DO MUNDO DO POVO IORUBA

Um ano após a estreia do Cosmogonia Africana – A Visão de Mundo do Povo Ioruba, é com muita honra que anunciamos uma curta temporada do espetáculo de dança no Teatro Carlos Gomes, um dos teatros mais tradicionais e importantes para a história da Cidade do Rio de Janeiro! Com direção artística de Aninha Catão

local: Teatro Municipal Carlos Gomes

           Praça Tiradentes – Centro – Rio de Janeiro-RJ 

====================

DIA 06 às 11H

Santo terço pelo soerguimento da Irmandade, seguido de abraço do Patrimônio Histórico edificado pela Comunidade Negra

Realização: REAL E BENEMÉRITA IRMANDADE DE NOSSA SENHORA DO ROSÁRIO E DE SÃO BENEDITO DOS HOMENS PRETOS DO RIO DE JANEIRO.

LOCAL: Santuário do mesmo nome

                 Rua Uruguaiana, 77 – Centro – Rio de Janeiro-RJ

==========================

DIA 06 às 20H & DIA 07 às 23H

APRESENTAÇÃO: DIVAS EM NASCIMENTO

Uma singela homenagem ao grande compositor e intérprete Milton Nascimento realizada por mulheres da região do Circuito das águas. 
No piano e voz Carolina Herrero irá acompanhar as grandes cantoras Eliete Gomes, Érica Moreira, Lucely Lemos, Liliane Bertante, Liliana Akstein, Sussi Mioto, Iara Iardino.
Um espetáculo emocionante dando destaque as vozes femininas de nossa região.

Organização: CAROLINA HERRERO

Local: CASA DO TEATRO

            Rua Barão de Campinas, 619 – Amparo-SP

========================

DIAS 06 & 13 às 14H

INTRODUÇÃO À CULTURA AFRICANA E AFRO-BRASILEIRA

O curso irá fornecer os elementos necessários a respeito da cultura africana e afro-brasileira baseada nos mitos que herdamos da África e que estão no imaginário corrente de nosso povo a partir dos seus valores civilizatórios. O curso visa possibilitar que os participantes desenvolvam uma visão descolonizada e não eurocêntrica de nossa educação e sociedade, assim como fornecer os elementos necessários para que os participantes das religiões afro-brasileiras possam transformar centros religiosos de matrizes africanas em pontos de cultura propagadores destes valores civilizatórios, que igualmente são objeto de estudo de educadores de todos os níveis em suas práticas de acordo com a lei 10639/03. 
No curso serão mescladas aulas expositivas para apresentação dos temas seguidos de oficinas, sobretudo no que se refere às questões da prática e instrumentalização dos gêneros da literatura oral africanos. 

CRONOGRAMA
1º encontro – Literatura Oral Africana:  Ori Ki – Saudação à cabeça; a cabeça (Ori) como divindade, Lenda de Ejiogbe e de como a cabeça se juntou ao corpo; o conceito de Ori; Ori na Estética Yorubá; tipos de Oriki.
 [[[ Importância da Genealogia na Sociedade Africana – o griot genealogista e o autor de Orikis genealogista; estética e Estrutura dos Orikis; orikis de Orixás; orikis de Genealogia; orikis de nominação. [[[ Exercício sobre Genealogias para resgate da memória histórica conforme tradição Oral africana. [[[ Odara — O belo que tem que ser útil; padrões estéticos da África ocidental (yorubá) em contraste com os das sociedades clássicas ocidentais. [[[ Oficina de Orikis. [[[ Exu – O papel da Transgressão nas Sociedades Tradicionais.
2º encontro – Mitos: Ogum – A Ordem nas Sociedades Tradicionais; Oxóssi – O código moral dos caçadores; Oxumaré – A criação a partir do Elemento Andrógino; Obaluaie – A Medicina tradicional; Yemanjá – A ancestralidade feminina na constituição social africana; Xangô – O código moral e as instituições judiciais dos yorubás; Breve passagem pelos aspectos civilizatórios dos mitos de Nanã, Yansã, Oxum e Obatalá.

SAIBA MAIS.:  Fabio Kabral lança “A cientista guerreira do facão furioso”, seu segundo romance afrofuturista pela Editora Malê

IVAN DA SILVA POLI – (Osunfemi Elebuibon) é autor brasileiro do Renascimento Africano reconhecido por autoridades tradicionais, políticas e acadêmicas em diversos países africanos e autor dos demais Renascimentos do Sul (Hindu, Chinês, Oriente Médio, Sudeste Asiático, Russo, Latino-americano). Mestre em Linguagem e Educação na Universidade de São Paulo, trabalha com os seguintes temas: Mitos Africanos na Educação, Filosofia da Educação no Oriente, Sistemas Educacionais no Oriente e África, Relações Mestre Discípulo no Oriente e África, Historia da Educação e Sociologia da Educação no Oriente e na África, sobretudo na Índia, Lei 10639/03 (Cultura Africana e Afro-Brasileira na Educação), Metodologias de Letramento a partir de gêneros da oralidade africana na alfabetização de jovens e adultos. Tem vivências e experiências em instituições religiosas e educacionais em 22 países e 5 continentes que visitou durante 9 anos (tema de uma de suas obras).

local: TAPERA TAPERA

           Galeria Metropole – Rua São Luiz, 187 – 3o. andar – sala 2 – Centro – São Paulo-SP 

=========================

 

Dia 07 às 10H

Encerramento dos festejos em glorificação à Nossa Senhora do Rosário e São Benedito.

SANTA MISSA no Rito Romano em Estilo Afro-brasileiro, seguido da

Coroação de Nossa Senhora do Rosário & retirada do mastro de Nossa Senhora do Rosário e de São Benedito

Local: Capela de Nossa Senhora Rosário dos Homens Pretos

  Largo do Rosário, S/N° –  Penha = São Paulo – SP

==========================

DIA 07 às 07H

MISSA SOLENE EM AÇÃO DE GRAÇAS PELOS:

120 Anos da Elevação a categoria de Ordem Terceira e 333 anos de Irmandade

Realização: VENERÁVEL ORDEM TERCEIRA DO ROSÁRIO DE

                     NOSSA SENHORA ÀS PORTAS DO CARMO &

       IRMANDADE DOS HOMENS PRETOS

Local: Praça Jose de Alencar s[n – Salvador – Bahia

DIAS 06 E 07 DE JULHO

COMPAREÇA A EXTRAORDINÁRIA QUERMESSE DE SÃO BENEDITO

Salve! Salve! Povo de São Benedito! Esse ano teremos um grande final de semana de música, danças e comidas típicas, brincadeiras e muito mais. Você não pode perder este final de semana.

Local: PARÓQUIA DE SÃO BENDITO

          Rua Igarité, 338 – Bairro do Jaçanã – São Paulo-SP

========================

DO DIA 11 até 14

17ª. FESTA LITERÁRIA INTERNACIONAL DE PARATY

Homenageado: EUCLIDES DA CUNHA

Neste evento, a CASA POÉTICA NEGRA apresenta:

Escritora MARI VEIRA

Flip Preta acontece pela primeira vez em julho no Quilombo do Campinho
O evento marca a resistência do povo negro e quilombola em Paraty-RJ e no Brasil.
Antes da literatura nasce a oralidade e toda sua imensidão. Antes de nos constituirmos povo brasileiro, somos povos africanos organizados nas diásporas, forjados seres múltiplos e plurais, aqui identificados como afro-brasileiros. Depois, nos tornamos quilombolas pela nossa luta e resistência pela reprodução da vida plenamente e em liberdade. Em meio a todo esse contexto, produzimos arte, cultura, saberes que são em sua essência, literatura. A oralidade dos saberes e resistências negras, que se transforma ao longo dos tempos se apresenta na Flip Preta do Quilombo do Campinho em 2019.
Originada de um sonho antigo da comunidade, a realização desse projeto se concretiza no ano de 2019 com a finalidade de marcar a luta e a resistência do povo negro e quilombola do Campinho e do país todo, através da literatura e da troca de saberes. Reuniremos
escritoras e escritores, poetas, músicos, artistas, rappers, mestras e mestres da cultura popular em um encontro que vai transcender a literatura e suas dimensões nesse território chamado quilombo.
A programação acontece no Restaurante do Quilombo, pautada no protagonismo negro, teremos na Flip Preta shows, rodas de conversa, feira de livros e artesanatos, oficinas e com a presença griot de diversos lugares do país e um espaço especial e carinhosamente preparado para as crianças. Todos os dias haverá uma feira preta de produtos sendo expostos à partir das 13h.
Traga uma camiseta para pintar com a tela da Flip Preta 2019, haverá telas e tintas para quem quiser levar pra casa a lembrança desse evento histórico.

Local: RESTAURANTE DO QUILOMBO – PARATY-RJ

==========================

DIAS 12 A 14

11o. ENCONTRO NACIONAL DE FÉ E POLÍTICA

local: IFRN – NATAL-RN

ao lado do midway

========================

DIA 14 às 12H

9º. ENCONTRO GASTRONÔMICO: COSTALA FOGO DE CHÃO

Cardápio: Costela assada; Vaca atolada; Suã com arroz; Feijão gordo;

                   Vinagrete; Salada Verde; Frutas da época.

Custos: R$ 35,00, com criança por R$ (07 a 12 anos) R$ 10,00

Local: ESPAÇO GR

            Rua Manoel Duarte Ortigoso, 46 – Ribeirão Preto-SP

=========================

DIA 14 às 11H

PROFISSÕES PERPÉTUAS

Instituto Missão Consolata, convida com muita alegria para participar da Cerimônia da Profissão Perpétua dos Missionários

Douglas NYANGENA; Gratus MIZENA; Joel KAPITEN;

Joseph KIHIKO; Patrick SHIJA

Local: Paróquia de Nossa Senhora da Consolata

         Rua Leão XIII, 303 – Jardim São Bento – São Paulo-SP

==========================

DIA 14

ROMÁRIA AO SANTUÁRIO DA SANTA NHÁ CHICA

A negra santa benzedeira.

Realização: Pastoral Afro-brasileira de Nilópolis

Convite: Rosangela (21) 2791-3303 & Frei Tatá (21) 99607-9527

Saída: Paróquia de Nossa Senhora Aparecida de Nilópolis

            NILÓPOLIS-RJ

========================

DIA 14 às 10H

Missa no Rito Romano Inculturado em Estilo Afro-brasileiro em

Louvor e Glória de São Benedito

Realização: IRMANDADE DE SÃO BENEDITO DA PRAIA GRANDE E S.P.

Local: Santuário da Imaculada Santa Ifigênia

            Largo de Santa Ifigênia –  São Paulo/SP

===================================

DIA 20 às 14H30

Encontro de Formação da Pastoral Afro-brasileira da

Região Episcopal Brasilândia

Realização: Pastoral Afro-brasileira da Região Episcopal Brasilândia

Pastoral Afro Dom José Maria Pires – Dom Zumbi

Local: Paróquia de Santo Antonio da Brasilândia

            Rua Parapuã, 1903 –  Brasilândia – São Paulo-SP

=============================

DIA 27 às 09H

3º. ENCONTRÃO DOS JOVENS NEGROS CATÓLICOS

POLÍTICAS PÚBLICAS PARA JOVENS NEGROS

Palestrante: Frei David

Realização: Grupo de Articulação da Pastoral Afro da Diocese de São Miguel Paulista

Local: Rua Miguel Rachid, 907 – Ermelindo Matarazzo – São Paulo-SP

==========================

 

DIA 30 às 12H

FEIJOADA BENEFICENTE COM O TEMPERO DO NOSSO AXÉ

comida boa, barracas com trajes típicos africanos e afro-brasileiro & MUITO SAMBA

realização: Pastoral Afro-brasileira Dom José Maria Pires – Dom Zumbi

local: Salão Paroquial da Igreja de Santo Antonio da Brasilândia

          Rua Parapuã, 1903 – Brasilândia – São Paulo-SP

==========================

 

CONSELHO MUNICIPAL DE PARTICIPAÇÃO E DESENVOLVIMENTO

DA COMUNIDADE NEGRA DE FRANCA – COMDECON

O COMDECOM em parceria com o Centro Cultural CANFOMA apoia os cursos de Percussão; Música e dança da cultura popular & Dança de bloco.

Inscrição: centroculturalcongoma@gmail.com; fone: (16) 99181-9617

Local: Av. Antonio Barbosa Filho, 1754 – Jardim Francano – Franca-SP

==============================

ENEP – ESCOLA NACIONAL DE ENERGIA POPULAR

Colônia Vaz de Melo – Zona Rural – VIÇOSA-MG

DIA 06 E 07 – Assembleia Arquidiocesana da Dimensão Sociopolítica DIA 08 a 12 – Curso de artesanato e móveis de bambuí na ENEP DIA 09 – Reunião mensal da ENEP DIA 10 – Monitoramento Permanente da Conjuntura às 19h – Êxodo forçado e inchaço das cidades – ENEP – Viçosa DIA 12 a 14 – 11º Encontro Nacional de Fé e Política – Natal – RN DIA 12 a 15 – 11ª Troca de Saberes – UFV – Viçosa DIA 13 – Curso de Homeopatia (Turma II – Lúcia) – Módulo XII (Final) DIA 18 – Curso de Homeopatia (Turma II – Fernanda) – Módulo IX DIA 19 a 21 – Encontro Mineiro das CEBs – Ipanema DIA 20 – Encontro de Formação Política na ENEP DIA 25 – Dia do Trabalhador e da Trabalhadora Rural DIA 27 – 9ª Vivência Missionária DIA 27 e 28 – Reunião da Coordenação Arquidiocesana da Pastoral Afro-Brasileira;

3ª Rota da Caravana Quilombola em Bias Fortes (Data a ser definida) 06 e 07 –

Contato: contato.enep@gmail.com;

==============================

E D I T O R I A L  – UNISINOS

ANULE-SE TUDO O QUE ACONTECEU A PARTIR DA LAVA JATO

As revelações do Intercept confirmam a nossa cobertura da farsa trágica dos últimos cinco anos: Lula era o alvo, afirma Mino Carta, diretor de Redação de CartaCapital, 17-06-2019.

Eis o editorial.

Depois das revelações do Intercept, a conclusão haveria de ser anular tudo que aconteceu a partir da criação da Lava Jato. O projeto golpista visava, com a bênção agradecida do Departamento de Estado, alijar Lula da eleição de 2018, graças a uma tramoia pretensamente jurídica sem paralelos para condená-lo e prendê-lo sem provas. Moro e Dallagnol, lacaios de Washington, cumpriram a tarefa a contento e Jair Bolsonaro elegeu-se com folga maior do que aquela conseguida por Dilma Rousseff em 2014. Assim se deu, o entrecho é claro, o resultado de um golpe inédito perpetrado pelos próprios poderes da República, a começar pelo Judiciário, que permitiu o impeachment e as falcatruas do torquemadazinho de Curitiba. Os guardiões da lei preferiram rasgar a Constituição. Não faltou o aval militar, assegurado pelo general Villas Bôas, então comandante do Exército, ao pressionar o STF a manter a prisão de Lula sem alterar a decisão tomada à última hora pelos supremos togados por ser bastante, na visão a favor da fraude, a condenação em segunda instância.

SAIBA MAIS.:  Fogo, pistolagem e medo na fazenda 1.200 no Pará

A lógica no caso é implacável: diante das revelações do site Intercept, de Glenn Greenwald, obviamente de absoluta veracidade, tornam automaticamente nulos todos os atos da farsa trágica, e o derradeiro é a eleição do ex-capitão. A compreensão deste jogo de dominó deveria ser acessível a qualquer brasileiro consciente da cidadania. Estamos, porém, no Brasil medieval da casa-grande e da senzala, onde a minoria faz o que bem entende e o resto é tangido como um rebanho acossado pelos lobos. Penosas e mesmo patéticas as reações de uma boa fatia da mídia nativa, desta vez dividida nas suas avaliações.

O “conjo” de dona Leonor não é de se demitir, como pede o Estadão no editorial de terça-feira 11, tanto mais agora: Bolsonaro na semana o premiou com a Medalha do Mérito Naval, embora o mérito do ministro da Justiça aos olhos presidenciais seja outro. Talvez o ex-capitão homenageie quem iniciou o processo que leva ao naufrágio, daí a metáfora náutica. De todo modo, a condecoração nos dias seguintes à divulgação do Intercept coincide, com encaixe ao rabo de andorinha, manda o ebanista feliz, ao estilo truculento do bolsonarismo, como resposta às reações indignadas da mídia dos países civilizados e democráticos. Uma pergunta assoma espontânea: se temos de procurar culpados, será que a culpa não é do Brasil? Houvesse um pelotão de fuzilamento, nenhuma bala seria perdida.

Só a tomada da Casa-Grande muda o Brasil e recupera o tempo perdido

Outra questão me assalta: há como comparar os golpistas fardados atuais com aqueles de 1964? Outras eram as circunstâncias, que diferem profundamente. Havia entre aqueles fardados golpistas alguns que se ririam da comicidade involuntária de Bolsonaro & filhos, parece-me colher no rosto do general Golbery um sorriso de Gioconda.

Estavam afeitos a um país muito melhor do que o de hoje, o Brasil contava com círculos intelectuais de peso, com pensadores, escritores, artistas reconhecidos mundialmente, com alguns políticos desassombrados, com jornalistas que conheciam a diferença entre as insopitáveis verdades que habitam a cabeça de qualquer um e a verdade factual, conforme a definição de Hannah Arendt. Ainda não havia chegado o tempo desenfreado das notícias falsas, dos celulares e das selfies, do uso político da internet, da progressiva imbecilização geral.

Vários generais da ditadura jamais fariam continência diante da bandeira dos EUA e com fé sincera, conquanto malposta, acreditavam na consigna inicial do golpe: pôr a casa em ordem e, cumprida a missão, devolver o poder aos civis. Na crença, uma nítida prova de ingenuidade: no país da casa-grande e da senzala, o poder sempre retorna às mãos dos senhores da mansão. Foi o que se deu com a chamada redemocratização, como sempre ao sabor das tradicionais hipocrisia e ignorância de marca tipicamente nativa.

O alívio veio com Lula, pelo seu combate à miséria e sua política exterior independente. A quem não interessa esta insólita atuação? À casa-grande e aos EUA, a bem do seu império, como é do conhecimento até do mundo mineral. A Lava Jato é o primeiro motor do golpe que atende às demandas da mansão senhorial e de Tio Sam. E aqui me permito enveredar pelo vitupério. As revelações do Intercept espantam o mundo civilizado, mas o Brasil as engole mansamente, quando não as ignora, com a exceção ao menos dos leitores de Carta Capital, alertados desde quando esta bola saiu dos pés de Sérgio Morono campinho da República de Curitiba.

Já sabíamos de tudo, a conivência dos poderes da República na execução do golpe de 2016, desfechado para expulsar Lula do páreo presidencial, com o resultado final, conscientes ou não os golpistas do iminente tropeço na figura execrável de Bolsonaro. Tudo se justifica, a casa-grande empenha-se em tempo integral para manter de pé a senzala. A miséria não comove os senhores, tampouco a falta de educação e saúde. Pelos salões medraram os ódios social e de classe, heranças de três séculos e meio de escravidão, de fato até o momento não encerrada. Bolsonaro serve ao jogo, do alto de sua demência presta-se a qualquer serviço sujo.

Carta Capital é a única publicação em papel impresso que nos últimos cinco anos desenrolou o enredo e ganha hoje a confirmação do acerto das suas informações a respeito dos andamentos da peça e dos seus protagonistas. Trata-se da consequência da prática do jornalismo. Pretendia um redator-chefe do New York Times o acompanhamento de um adjetivo, honesto. Penso que a honestidade há de ser intrínseca, própria, insubstituível.

Quanto aos desenvolvimentos da situação, por ora o vaticínio não é recomendável. O problema insolúvel está na natureza de um país digno da Idade Média mais obscura. Culpado é o Brasil, já disse, involuntária a responsabilidade se nos referimos à senzala. O que teimamos em não entender, inclusive a chamada impropriamente esquerda, que o recurso à resignação de quem guarda nos lombos a chibatada do capataz não gerou apenas uma série insuportável de golpes, mas também impediu ao País atingir a contemporaneidade do mundo. Para mudar o Brasil, é preciso tomar a casa-grande.

=======================================

CALENDÁRIO NEGRO – JULHO –  Profa. Dra. ZELINDA BARROS

1 – Nasce em São José do Rio Pardo (SP), o militante político, Geraldo Rodrigues dos Santos – Geraldão (1923)
1 – Fundação em São Paulo do Clube Negro de Cultura Social (1932)
1 – Independência da Somália (1960)
1 – Independência da Ruanda (1960)
1 – Independência do Burundi (1962)
1 – Nasce no Estado do Alabama (EUA), Willian Frederick Carlton ‘Carl’ Lewis, o atleta Carl Lewis, tetracampeão olímpico de uma prova individual em quatro edições consecutivas (1961)
2 – Independência da Bahia (1823)
2 – Nasce na província de Kasai, Congo “Belga”, República Popular do Congo, Patrice Lumumba (1925). Lutou pela independência e pela unidade do território. Em 1960, com a independência tornou-se primeiro – ministro
2 – As mulheres negras denunciam no Congresso das Mulheres Brasileiras realizado no Rio de Janeiro, a degradação de serem consideradas objetos de prazer (1975)
2 – Nasce em Campos (RJ), o cantor e compositor Wilson Batista de Oliveira, autor entre outros sucessos de “Casinha Pequenina”, “Louco”, “Nega Luzia”, “Acertei no Milhar” (1913)
3 – Nasce no Rio de Janeiro, o poeta, repentista, Laurindo José da Silva Rabelo – Laurindo Rabelo, autor entre outras obras de “O meu segredo”, “A linguagem dos tristes”, “Adeus ao mundo” (1826)
3 – Aprovada a Lei Afonso Arinos, que inclui entre as contravenções penais a prática de atos resultantes de preconceito de raça ou de cor (1951)
3 – Independência da Argélia, África (1962)
4 – O tenista norte-americano Arthur Ashe vence em Wimbledon (1975)
5 – Nasce no Recife (PE), o músico Manoel de Almeida Botelho. (1721)
5 – Nasce na Fazenda da Agulha, Trajano de Morais, (RJ), a cantora e compositora Carmelita Madriaga – Carmem Costa (1920)
5 – Independência de Cabo Verde (1975)
6 – Nasce Alzira Rufino, ativista do Movimento Negro e no Movimento de Mulheres Negras (1949)
6 – Nasce em Jacarepaguá (RJ), José Luiz de Moraes – Caninha, que dividiu com “Sinhô” a honra de ser autor dos maiores sucessos populares da década de 1920. Compôs: “Vou me vingar”, “Condor Brasileiro”, “Batucada”, entre outros . (1881 ou 1883 – data imprecisa)
7 – Lançamento público do Movimento Unificado Contra a Discriminação Racial nas escadarias do Teatro Municipal (SP) Foi lida a Carta Aberta à Nação contra o Racismo . Mais tarde, passou a ser chamado de Movimento Negro Unificado/MNU (1978)
7 – Nasce no Rio de Janeiro, Marcelino José Claudino, o Tio Maçu, um dos fundadores da Escola de Samba Estação Primeira de Mangueira e seu primeiro mestre-sala. (1889 ou 1899 – data imprecisa).
7 – Independência de Malawi. (1965)
7 – Nasce em São Paulo (SP), o lateral-esquerdo da Seleção Brasileira de Futebol, José Roberto da Silva, Zé Roberto. (1974)
7 – Dia Nacional de Luta contra o Racismo.
8 – O americano Willian De Hart Hubbard competindo no salto a distância nos Jogos de Paris, torna-se o primeiro negro a conquistar uma medalha de ouro olímpica individual (1924)
8 – Fundação do Instituto de Pesquisas da Cultura Negra (IPCN), Rio de Janeiro (1975)
9 – Na formulação de uma política geral para o serviço militar, pouco depois que o General Washington assume o comando, fica decidido que não era necessário o serviço dos negros. É emitida uma ordem aos oficiais de recrutamento para que não alistassem “qualquer desertor das fileiras do clero, vadio, negro, ou vagabundo ou qualquer pessoa suspeita de ser inimiga da liberdade da América e nem qualquer um com menos de 18 anos de idade.” (EUA) (1775)
10 – Abolição da escravatura negra na província do Amazonas. (1884)
10 – Nasce na Praça Mauá, Rio de Janeiro, o ator e diretor Ivan de Almeida. (1938)
10 – Nasce no Rio de Janeiro o cantor, compositor e integrante do grupo Golden Boys, Renato Corrêa, autor de “Casaco Marrom”, “Canção de Esperar” (Renato Corrêa e Rossini Pinto), entre outros sucessos. (1944)
10 – Independência das Bahamas (1973)
11 – Nasce em Campinas (SP), o compositor Antônio Carlos Gomes (1834)
11 – Nasce em Florianópolis (SC), Antonieta de Barros, escritora, educadora, deputada constituinte por Santa Catarina em 1935 (1901)
11 – No estádio de Wembley, em Londres, Inglaterra, foi realizado o Freedom Festival, grande espetáculo musical, dedicado a Nelson Mandela, além de representar mais um protesto contra o “apartheid’ (1988)
12 – Nasce no Rio de Janeiro(RJ) o compositor Nilton Bastos (1899)
12 – Nasce em Aracaju (SE), Maria Beatriz Nascimento, a historiadora, professora, roteirista, poeta e ativista pelos direitos humanos de negros e mulheres Beatriz Nascimento (1942)
12 – Independência de São Tomé e Príncipe (1975)
12 – O jogador de futebol Edson Arantes do Nascimento, Pelé é eleito por indicação de jornalistas de 19 países, atleta do século (1980)
12 – Nasce no Rio de Janeiro (RJ) José Bispo Clementino dos Santos, o cantor Jamelão, famoso intérprete dos sambas-enredo da Mangueira (1913)
13 – Abolição da escravatura no território de Northwest (EUA) (1787)
13 – Nasce em Paquetá (RJ), o compositor, músico, organizador e regente de várias bandas do Corpo de Bombeiros do Rio de Janeiro, Anacleto Augusto de Medeiros. Compôs quadrilhas, valsas, choros, além de músicas sacras (1866)
14 – Sai o primeiro número do Jornal “A Liberdade” em São Paulo (1919)
14 – Nasce em Juiz de Fora (MG), Décio Antônio Carlos – Mano Décio da Viola, um dos maiores compositores de samba do Rio de Janeiro, autor de “Apoteose do Samba”, “Heróis da Liberdade”, “Exaltação a Tiradentes”, entre outros sambas de sucesso (1909)
14 – Fundação no Rio de Janeiro do Grupo Afro-Brasileiro Alaafin Aiyê (1987)
14 – Criado o Conselho Consultivo do Programa Nacional do Centenário da Abolição da Escravatura, com a finalidade de acompanhar as atividades da Comissão do Programa Nacional do Centenário da Abolição, formado por intelectuais e artistas ligados à luta pela questão do negro em todo o país. Portaria Ministerial 314 de 14/07/87, Diário Oficial 16/07/87 (1987)
14 – Nasce no Rio de Janeiro (RJ) Aizita Nascimento, primeira miss negra do Brasil. Sua participação no Miss Guanabara, concurso em que ficou em 6º lugar, abriu um precedente para a exaltação e valorização da beleza e auto-estima da mulher negra (1939)
15 – Nasce em Duala, Camarões, o guitarrista Francis Bebey (1929)
15 – Nasce em São José do Rio Preto (SP) o maestro, compositor e instrumentista Paulo Gonçalves de Moura – Paulo Moura (1932)
15 – Tem início em Esmeralda, Equador, a I Conferência sobre a Mulher Negra nas Américas (1984)
16 – Nasce na antiga Rua Ceará, atual Marechal Rondon, bairro de São Francisco Xavier, (RJ), a cantora Elisete Moreira Cardoso – a “Divina” Elizeth Cardoso (1920)
16 – O Papa Pio XI declara Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil (1930)
16 – Nasce na Bahia, o quarto-zagueiro Zózimo Alves Calazans, campeão do Mundo nas Copas de 1958 e 1962 (1932)
16 – Nasce no Rio de Janeiro/RJ, Djalma de Andrade, o instrumentista e cantos Bola Sete (1923)
17 – O Presidente dos Estados Unidos Abrahan Lincoln torna lei uma medida que dava liberdade a todos os escravos vindos de senhores rebeldes em territórios ocupados pela União (1862)
17 – Nasce no Rio de Janeiro o jogador e técnico de futebol Carlos Alberto Torres (1944)
17 – Na Cidade do Cabo, África do Sul, grupos policiais invadem o campus da universidade e impedem a realização de um concerto de rock e jazz em homenagem a Nelson Mandela. (1988)
17 – O ator Grande Otelo recebe o título de Cidadão Paulistano (1978)
18 – Nasce perto de Umtata, capital da reserva de Transkei, África do Sul, Nelson Mandela, um dos maiores nomes do nosso século. (1918)
18 – O jogador de futebol Edson Arantes do Nascimento, Pelé, faz seu jogo de despedida da Seleção Brasileira de Futebol. (1971)
19 – A cantora americana Josephine Baker alcança enorme sucesso em sua apresentação em Paris. (1925)
19 – Nasce no Rio de Janeiro, o ensaísta, historiador, escritor, Joel Rufino dos Santos (1941)
20 – Nasce em Fort-de-France, Martinica, o médico, escritor Frantz Fanon (1921)
20 – Nasce em Campos (RJ) o cantor e compositor Dermeval Miranda Maciel – Roberto Ribeiro. (1940)
20 – Nasce no Morro do Salgueiro, o compositor Geraldo Soares de Carvalho – Geraldo Babão.
20 – Fundação em Porto Alegre (RS), do Grupo Palmares (1971)
21 – Nasce no bairro de Botafogo (RJ) Jovelina Faria Belfort, a cantora e compositora Jovelina Pérola Negra (1944)
21 – Nasce, no Rio de Janeiro (RJ), o compositor Luiz Carlos Batista – Luiz Carlos da Vila, autor, entre outras obras, de “Kizomba, a festa da raça”, samba – enredo campeão do carnaval do Centenário da Abolição, em 1988 (1949)
21 – Albert J. Luthuli, líder político africano, recebe o Prêmio Nobel da Paz (1967)
21 – Tem início em Argel, o Festival Cultural Pan-Africano (1969)
22 – Nasce no Rio de Janeiro, o músico, cantor e compositor, ritmista, administrador de empresa e sambista, Elton Antônio Medeiros – Elton Medeiros, autor de “O Sol Nascerá”, “Recomeçar”, “Vida”, “Onde a dor não tem razão” (Elton Medeiros e Paulinho da Viola) entre outros sucessos (1930)
23 – O atleta olímpico brasileiro, Adhemar Ferreira da Silva, conquista em Helsinque, Finlândia, a medalha de ouro no salto triplo com a marca de 16,22m superando o recorde mundial da prova (1952)
24 – Nasce em Villers-Cotterets, França, o escritor Alexandre Dumas, autor de “Os Três Mosqueteiros”, “O Conde de Monte Cristo”, “Os Irmãos Corsos”, entre outras obras. (1802)
25 – Nasce em Recife(PE), Solano Trindade, poeta, pintor, teatrólogo, ator e folclorista, fundador da Frente Negra Pernambucana, do Centro de Cultura Afro-Brasileiro, para divulgação de artistas negros, e do Teatro Popular Brasileiro (1908)
25 – É organizada em Silver Bluff (EUA), por oito escravos, a I Igreja Batista Negra da América (1778)
25 – Realiza-se no Teatro São Luiz, no Rio de Janeiro a primeira conferência abolicionista contando com a presença do Maestro Carlos Gomes (1880)
25 – Nasce em Niterói (RJ), o compositor e instrumentista, Alcebíades Barcelos, o Bide (1902)
25 – Nasce no Rio de Janeiro (RJ), o cantor, compositor e artista plástico, Nelson Matos – Nelson Sargento (1924)
25 – Dia da Mulher Afro-latino-americana e Caribenha
26 – Dia consagrado ao Orixá Nanã. – é considerada “Mãe de todos os Orixás” para alguns, e a mais velha deusa das águas. É considerada ainda mãe de Omulu e Oxumarê e às vezes também de Exu. Está associada à água e à lama que a liga à agricultura, à fertilidade, aos grãos. Suas cores são o branco e o branco ou o preto e o roxo. Seu elemento é a água. Saudação: Salubá!
26 – Nasce Marta Ferreira da Silva, Tia Marta do Império, mãe de santo conceituada do Morro da Serrinha, incentivadora do jongo, e integrante da Ala das Baianas do Império Serrano desde 1947.
26 – O Presidente dos Estados Unidos Harry S. Truman ordena que haja doravante “…igualdade de tratamento e de oportunidade para todas as pessoas nas Forças Armadas, sem distinção de raça, cor, religião ou origem nacional. (1948)
26 – Independência da Libéria, África/ 1846
27 – O atleta João Carlos de Oliveira, João do Pulo, conquista a medalha de bronze no salto triplo, durante as Olimpíadas de Montreal (1979)
28 – Os deputados Andrade Bezerra e Cincinato Braga apresentam Projeto de Lei n. 291 pretendendo proibir a entrada de “indivíduos humanos das raças de cor preta” no Brasil (1921)
28 – Nasce João Henrique dos Reis, o João Paulo, cantor sertanejo da dupla João Paulo & Daniel (1960).
29 – Nasce Carmem Teixeira da Conceição, Tia Carmem do Xibuca, irmã de santo da famosa Tia Ciata (1878)
29 – Nasce em São José dos Campos (SP), o poeta, crítico, historiador e jornalista, Cassiano Ricardo Leite – Cassiano Ricardo (1895)
29 – Ialorixás da Bahia divulgam documento condenando o sincretismo religioso (1986)
29 – Nasce na Bahia o cantor Anísio Silva (1920)
30 – Nasce em Augusta (EUA), Laurence John Fishburne III, o ator Laurence Fishburne (1961)
31 – Nasce em Queluz (SP), Natalino José do Nascimento – Natal da Portela, um dos fundadores e da Escola de Samba Portela. (1905)

SAIBA MAIS.:  Universidade Federal do ABC promove evento sobre o “Dia da Mulher Negra Latino-Americana e Caribenha”

 


O post Calendário Afro Julho de 2109 – Prof. Guilherme Botelho Júnior apareceu primeiro em Instituto Portal Afro.

Portal Afro

Deixe uma resposta