CULTNE DOC – Arlindo Cruz – “O meu lugar”

Encontro de samba de raiz na roda de samba do Renascença Clube com o consagrado sambista Arlindo Cruz e o grupo Soul Mais Samba no último domingo dia 30 de agosto de 2015. Cultne registrou o show com imagens e edição de Filó Filho e Alexandre "Xandão" Dias. O SUCESSO DE ARLINDO CRUZ No dia 14 de Setembro de 1958 nascia Arlindo Domingos da Cruz Filho, 7 anos depois ganhou seu 1º instrumento musical, um cavaquinho, de seu pai (Arlindão) amigo e parceiro de Candeia com quem fundou o Grupo Mensageiros do Samba. Empolgado com aquele instrumento não podia ver seu pai chegar do trabalho que já ia perguntando como aprender à tocar. Dos 7 aos 12 anos já tirava muitas músicas de ouvido, e como seu irmão Acyr Marques aprendia violão, Arlindo observava os acordes e já comparava os acordes com o do cavaquinho e aventurava fazer alguns acordes. Aos 12 anos de idade entrou para escola (Flor do Méier) onde estudou teoria, solfejo e violão clássico, por 2 anos. Nessa época começou à trabalhar profissionalmente como músico, fazendo rodas de samba, com vários artistas, principalmente, Candeia que ele considera seu padrinho musical. Com Candeia gravou um compacto simples pela gravadora odeon, e um LP chamado Roda de Samba (hoje encontrado em Cd) em ambos tocando cavaquinho. Ao completar 15 anos foi estudar em Barbacena MG, na escola preparatória de Cadetes do ar, continuou com a música cantando no coral da escola e participando de festivais. Começava então à nascer o compositor Arlindo Cruz. Nessa época Arlindo Cruz já havia ganho festivais em Barbacena, Poços de Caldas entre outros. Como desde criança já freqüentava e desfilava no Cacique de Ramos, em 1980 quando deixou a Aeronáutica, sabendo que existia uma roda de samba no Cacique, onde eram revelados autores e intérpretes passou à freqüenta-la toda Quarta-feira, onde foi bem recebido pôr todos ( Neoci, Dida, Jorge Aragão, Luiz Carlos da Vila Beth Carvalho, Beto sem Braço, Bira, Ubirani, Almir Guineto etc.) Junto com ele, novos parceiros, Rixxa, Cláudio Camunguelo, Sombrinha, Zeca Pagodinho, entre outros. Logo no 1º ano teve 12 músicas gravadas pôr vários intérpretes, a 1º delas foi Lição de malandragem com Davi Correia, depois vieram outros sucessos, "grande erro' com Beth Carvalho, "novo Amor" com Alcione, entre outros. Com a saída de Jorge Aragão do Grupo Fundo de Quintal, Arlindo Cruz foi convidado à participar do Grupo, coisa que ele aceitou com muito carinho, e se dedicou durante 12 anos de sucesso, neste período gravou com quase todos artistas do movimento "Pagode". Em 1993 se juntou com o parceiro Sombrinha que estava também lançando seu 1º disco solo chamado "Sombrinha", e no palco do teatro João Caetano RJ, fizeram um Show que foi um grande sucesso, até hoje um dos recordistas de bilheteria deste teatro. O sucesso deste Show fez nascer a idéia de formarem uma dupla. Que só foi adiada porque Sombrinha ainda tinha que gravar um disco, pois tinha que cumprir um contrato com a gravadora,que seria o disco ( pintura na tela ) Depois da gravação do disco do Sombrinha, eles voltaram à fazer um Show no teatro João Caetano, e novamente o sucesso deste Show fez com que a idéia da dupla se concretizasse. De 1994 até 1996 fizeram muitos shows, basicamente com repertório como compositores. E em 1996 a gravadora Velas, abraçou os dois para lançarem o 1-º disco como dupla o disco "Da Música", um CD muito festejado pelo público na época, e depois relançado pelo folha da tarde vendeu 197 mil cópias, em apenas um Domingo. (CD que tem: Ponto sem nó, Pintou uma lua lá, Filho do quitandeiro, Silêncio no olhar, Dá Música, etc.) Em 1997 lançaram o CD (O Samba é a Nossa Cara) Este disco foi muito importante, porque mostrou um lado, mais sério do trabalho deles, com música com mais profundidades (papo de homem e mulher, Teu M eu trago na mão. Em 1998 com o sucesso na série casa de bamba, da faixa testamento de partideiro com Leci Brandão (Samba de Candeia) a gravadora Universal Music resolveu investir no talento da dupla, e assim nasceu o disco Pra ser Feliz Um disco feito com Rildo Hora e eleito pela dupla o melhor trabalho feito em estúdio.(fonte: filhodejorge.blogspot.com – ze ricardo)

Deixe uma resposta