Engenho oferece um jantar brilhante e indigesto

CRÍTICA TEATRAL
ESPETÁCULO: “CANÇÃO INDIGESTA”

O espaço/ teatro itinerante da cia de teatro “Engenho Teatral” impressiona por ser uma estrutura tão consolidada e duradoura num quadro cultural paulistano e brasileiro cada vez mais difícil de se manter e evoluir.
A estrutura física do “Teatro do Engenho” em forma de meio globo se encaixa perfeitamente como metáfora para o novo espetáculo da cia que estreiou no último dia 30/03/2019 chamado “Canção Indigesta”, pois o mesmo fala sobre nós mesmos…a humanidade pela metade.
A plateia é recebida com um surpreendente banquete (petiscos e drinks) e mesas de jantar entre os assentos; fato que de início nos cria curiosidade sobre a intenção dessa opção estética .
Com o andamento do espetáculo vamos juntando aos poucos através das falas tão incisivas e profundas dos atores toda a intenção da montagem e do texto teatral.
Lidamos com algumas imagens marcantes e repetitivas dentro de uma narrativa discursiva exigindo muita atenção e absorção do público presente. Assuntos e situações são conduzidas por uma representação que explora as vezes a via da comédia e muitas vezes a da ironia cortante.
Algumas das imagens retornam incessantemente durante a representação: a do personagem “Zé Ninguém” (o cidadão comum) e a de um trem em alta velocidade. Nesse universo de um trem desgovernado atropelando tudo – um lugar onde a nossa realidade é amarga demais – o jantar oferecido é uma ótima estratégia para amaciar o público enquanto o golpeia com veracidades.
A ótima dramaturgia é uma série de ricos discursos que colocam sob os holofotes e questionam a vida sem rumo e sem esperança de uma população representada sabiamente por “cidadãos-bonecos-manipulados”.
A inteligente direção cria uma colcha de retalhos composta por vídeos realistas, frases dramaturgias e fatos concretos que nos joga em um mar de auto questionamentos, sempre abusando de criatividade nas marcas de cena e na boa direção de interpretação.
Há de se notar na montagem uma repetição de uma fórmula do teatro contemporâneo de resumir a cenografia à projeções de vídeo numa grande tela, o que infelizmente empobrece e diminui a criatividade visual da cena, mas isso é meramente um detalhe diante de uma montagem que consegue brincar com a plateia e a conduzir para onde se deseja o tempo todo: uma qualidade de toda a equipe envolvida, pois os destaques se espalham entre elenco, direção,dramaturgia,iluminação e também as canções que acrescentam metaforicamente as mensagens.

SAIBA MAIS.:  Aperte Play na Quebrada é neste sábado (14)

Depois de décadas de carreira, o “Engenho Teatral” estreia uma obra que não poderia ser mais relevante a nossa atualidade, com uma força inovadora e contestadora como se fosse um jovem rebelde e muito, muito talentoso.

Avaliação: ⭐⭐⭐⭐ ótimo

temporada aos sábados e domingos às 19 horas.

gratuito
SOMENTE 80 LUGARES

em cartazes!

endereço: Rua Monte Serrat, 120

Tatuape – tel: 96888-7748

eteatral@gmail.com

Portal Afro

Deixe uma resposta