Entrevista com Sebastião Soares

43 anos do GTAR: “ainda” em busca de um espaço
Grupo de Trabalho André Rebouças – UFF Cultne registrou com imagens e edição de Filó Filho nos dias 03 e 04 de Outubro de 2018 na Universidade Federal Fluminense – UFF, no espaço da Biblioteca Central da UFF e Instituto de Ciências Humanas e Filosofia, a exposição e seminário 43 anos do GTAR: “ainda” em busca de um espaço, que busca contar a história de lutas, ideias, resistências, amizades, dores e famílias que juntos constituem a força de um dos primeiros movimentos negros universitários no Brasil, e porque, não do mundo. Na década de 1970, o país vivenciava o “processo de distensão lenta, segura e gradual do regime militar”, que sinalizava possíveis trilhas para uma dada democracia. Uma das agremiações germinadas nesse contexto de violenta opressão e repressão foi o Grupo de Trabalhos André Rebouças – GTAR. Com atuação crucial na luta contra o racismo o GTAR aglutinou, na academia e em outros espaços, professores, ativistas negros/as e estudantes de várias universidades, assim como lideranças nos embates mais amplos. Pretende-se relembrar os seus pouco mais de 20 anos de atividades (1975/1995), e seu espraiar por outras trilhas até os atuais 43 anos de lutas, mobilizações, histórias e narrativas que constituem parte de uma história silenciada na Universidade Federal Fluminense.
Sebastião Soares ´é pós-graduado em História da África (Centro de Estudos Afro-asiáticos da Universidade Candido Mendes), bacharelado e licenciatura em História (UFF). Técnico em Ações Culturais e membro da Coordenaria Nacional da área de Capoeira, Jongo e Maculelê do IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Foi cofundador e segundo presidente do Grupo de Trabalhos André Rebouças – GTAR. Sebastião Soares é pós-graduação em História da África (Centro de Estudos Afro-asiáticos da Universidade Candido Mendes), bacharelado e licenciatura em História (UFF). Técnico em Ações Culturais e membro da Coordenaria Nacional da área de Capoeira, Jongo e Maculelê do IPHAN – Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional. Foi cofundador e segundo presidente do Grupo de Trabalhos André Rebouças – GTAR. Mesa de abertura: O GTAR-UFF e o Movimento Negro Universitário (ICHF)
Local: Auditório do ICHF – Bloco O
Palestrantes: Prof. Sebastião Soares (GTAR-UFF), Profª Cláudia Nascimento (GTAR-UFF) Ma. Sandra Martins (PPGHC – UFRJ)
Mediador: Prof. Dr. Amilcar Araújo (PPGEdu – UFRJ)

Deixe uma resposta