Festa de reinauguração do Bar Samba na Vila

Madalena durou 12 horas

A chamada “reinaugurasamba” atraiu grande público para celebrar os 15 anos de criação do bar, que está em novo endereço. No palco se apresentaram  bambas como Moacyr Luz, Nelson Rufino e Fundo de Quintal. A festa teve como “embaixadores” o ator Ailton Graça e a jornalista Claudinha Alexandre. O sambista mineiro Toninho Geraes não resistiu, subiu ao palco e surpreendeu o público

Por: Central de Comunicação // Fotos: Claudio Lira


o empresário Cícero Cunha com Ailton Graça, Moacyr Luz, Claudinha Alexandre e Zé Renato


Fundo de Quintal foi esperado pelo público

O sábado, 2 de fevereiro,  foi dia de grande festa para um dos redutos mais tradicionais do samba de São Paulo: o bar Samba.  Como prometido, a de comemoração durou exatamente 12 horas. Pelo novo endereço, agora na rua Fradique Coutinho, número 1.007, no boêmio bairro da Vila Madalena, passaram mais de 500 pessoas, que se revezaram durante a tarde quente paulistana  para apreciar os batuques do grupo Sambabar, formado por músicos paulistanos e cariocas, com os convidados Moacyr Luz, Nelson Rufino e o Fundo de Quintal. Esbanjando simpatia, se juntaram aos bambas, o ator Ailton Graça e a jornalista Claudia Alexandre, que foram convidados para serem os “embaixadores”, do maior evento da história do bar. “Isso tudo aqui não é meu, é de vocês e é para o samba que é a minha vida”, disse emocionado Cícero Cunha, o anfitrião.

 Foi com esse nome sugestivo, que  Cícero batizou há 15 anos o lugar que mistura o ambiente de boteco com um dos maiores acervos de samba da cidade. São mais de 1.000 fotos, objetos (fantasias, adereços, instrumentos musicais e pavilhões de escolas de samba…), um painel gigante de caricaturas que eternizam a história do samba e de personalidades surgidas principalmente nas principais agremiações carnavalescas do eixo Rio-São Paulo. Tudo pensado e projetado pelo próprio dono.

SAIBA MAIS.:  Precisamos falar sobre o racismo e a violência dos seguranças do Extra

 Para completar a decoração, parte das paredes ganhou revestimento tipo “lambe-lambe”, com frases de letras de samba e fotos ampliadas de sambistas como Dona Ivone Lara, Clementina de Jesus, João Nogueira, Almir Guineto e Luiz Carlos da Vila.

O Bar Samba realmente está maior, mas o proprietário não quer transformá-lo em uma casa de shows, ele quer manter o mesmo “climão”, sem perder as características de ser um local que valorize e respeite o samba. Agora além de melhorar a acessibilidade, a casa ganhou mezanino com camarote e uma área de convivência, que em breve será ocupada por uma lojinha para venda de itens que vão de livros sobre o gênero, souvenirs a instrumentos musicais.  “Aqui tudo é pensado para dar ao sambista o que ele merece, com um bom ambiente, música de qualidade e comida boa, para receber gente que faz a nossa história”, disse Cícero que há mais de 10 anos, também é um dos ritmistas da bateria da Escola de Samba Mocidade Independente de Padre Miguel.

A festa – Como prometido, a festa começou às 13 horas em ponto.  Quando as portas foram abertas já havia muita gente aguardando para conhecer o novo endereço do bar. Os convidados foram recepcionados com a famosa feijoada, servida todos os sábados, das 13 às 19 horas, ao som do Grupo Sambabar.

SAIBA MAIS.:  Saiba mais sobre o Museu da História e da Cultura Afro-Brasileira

Os embaixadores Ailton Graça e Claudia Alexandre fizeram a abertura oficial às 18 horas, antes de anunciar o show de Moacyr Luz, a primeira atração a subir no pequeno palco. Eles saudaram o público e explicaram que o dia 2 de fevereiro não foi escolhido à toa. “Hoje é Dia de Iemanjá, a deusa das águas salgadas, divindade protetora dos pescadores. Iemanjá é também a protetora do Bar Samba, porque nesta data, em 2004, os sócios devotos da rainha do mar iniciaram essa  história”, disseram.

O ator Ailton Graça e a jornalista Claudinha Alexandre esbanjaram simpatia e foram atrações à parte da festa. “Me sinto muito honrado por vocês estarem aqui, pois pra mim são os que representam a voz do samba, disso tudo que a gente quer falar”, disse Cícero ao se referir ao ator e sambista que atualmente interpreta o padre Ramiro na novela “O Sétimo Guardião” e à  jornalista e radialista Claudinha, que apresenta o programa Papo de Bamba e está no ar pela BR Brazil Show, uma plataforma digital, com aplicativo, voltada  para o samba.

Moacyr Luz, que é padrinho do Bar Samba, além de presentear o público com canções conhecidas, que já foram gravadas por grandes nomes como Zeca Pagodinho, Bethânia, Martinho da Vila e Beth Carvalho, também convidou para o palco o seu amigo e compositor Zé Renato. O compositor e intérprete Nelson Rufino, compositor de sucessos gravados por Zeca Pagodinho e Roberto Ribeiro, entre outros, chegou  trazendo o “axé” de Salvador e foi muito aplaudido quando anunciou e ao entregou o palco para a presença surpresa, do cantor e compositor Toninho Geraes. que fez questão de subir e parabenizar os amigos pela grande festa. O público não  perdeu a animação e encerrou cantando e aplaudindo o Grupo Fundo de Quintal, que apesar da ausência de Bira Presidente, por motivos de saúde, fechou com chave de ouro a festa dos 15 anos do Bar Samba, na Vila Madalena, que  agora em novo endereço vai continuar uma grande história.

SAIBA MAIS.:  Prof. Dr. Babalawô Ivanir dos Santos presente na inauguração de LASUCAS, na Nigéria.

Bar Samba: Rua Fradique Coutinho, 1.007 – Vila Madalena. Televendas e Reserva de Mesas: (11) 95341-0198. Informações: (11) 3819-4619// Cartões: Todos (não aceitamos Ticket Restaurante, Sodexo, Ticket Alimentação).

 Estacionamento: não tem valet. 

Acessibilidade:Rampa, elevador e banheiros.

 Funcionamento: Quarta-feira, quinta-feira e sexta-feira das 19h à 01h; Sábado- 13h às 19h (Feijoada com Grupo Sambabar) e 21h às 03h (Samba Ao Vivo); 

Entrada: quarta e quinta – R$ 20,00; sexta e sábado – R$ 35,00. 

Capacidade: 250 pessoas.


Deixe uma resposta