Glória ao Samba homenageia a Mangueira em show no Teatro Rival

Depois de apresentações dedicadas ao Salgueiro, ao Império Serrano e à Portela, o grupo paulista Glória ao Samba apresenta o espetáculo musical “Glória ao Samba Canta Mangueira – a Semente do Samba e Seus Frutos”. O evento acontece neste sábado, dia 29, às 20h, no Teatro Rival Petrobrás. Os ingressos custam a partir de R$25.

Para coroar a apresentação, o Glória ao Samba  conta com as presenças de Tantinho, da Velha Guarda Musical da Mangueira, e Hélio Turco, de 83 anos, além das pastoras Guesinha (filha de Dona Neuma) e Zenith e Soninha da Pedra (filha do compositor Geraldo da Pedra), que prometem relembrar histórias curiosas do Morro da Mangueira e de seus personagens.

O Glória ao Samba é formado por músicos e pesquisadores de São Paulo

O repertório é formado por composições raras e inéditas da Verde e Rosa, como a primeira parceria dos fundadores Cartola e Carlos Cachaça, “Pudesse Meu Ideal”, samba com o qual a Mangueira desfilou no Carnaval de 1932, na Praça Onze.

SAIBA MAIS.:  Samba do Olaria realiza roda gratuita na zona leste de São Paulo

Ainda dentre os inéditos, encontra-se o primeiro samba composto por Padeirinho, em 1947, que garantiu sua aprovação na Ala de Compositores. Outro destaque será a revelação da melodia do primeiro samba cantado no Morro da Mangueira, por Mano Eloy, em 1915, “O Padre Diz Miserê”. O roteiro terá também “Rosa, Meu Bem”, de 1929, de autoria do hoje desconhecido Antonico, irmão de Saturnino Gonçalves (primeiro presidente da escola). Pérolas de Gradim, Brogogério, e outros poetas completam o repertório.

SAIBA MAIS.:  Quem Samba Fica recebe convidados para aniversário de 10 anos da roda

Deixe uma resposta