Ministério Público do Trabalho promoverá evento para formação de Comitê da Diversidade e lembrará o Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa

Por:  Claudia Alexandre para o Portal Áfricas

Com o objetivo de  implantar  o Comitê da Diversidade religiosa e definir um plano de ação na luta contra a Intolerância Religiosa, a Procuradoria Regional do Trabalho da 5ª Região, realizará no próximo dia 28 de janeiro, às 9 horas, na cidade de Salvador,   uma roda de conversas com representantes das comunidades tradicionais de terreiro. A iniciativa e o encontro   será conduzido pela coordenadora nacional do Comitê Gestor, Dra. Edelamare Melo, Subprocuradora Geral do Trabalho.

Por meio da Portaria PGT Nº 1220/2018 foi instituída a Política Nacional de Equidade de Gênero, Raça e Diversidade do Ministério Público do Trabalho a ser implementada internamente e junto à sua rede de parceiros. A política é gerida por um Comitê Gestor Nacional e, no âmbito estadual, pelos Comitês Regionais. Referido Comitê se  divide em comitês temáticos – gênero, étnico-racial, LGBTQI+, pessoas com deficiência e idosos, e diversidade religiosa. Os comitês temáticos são integrados também por representante dos respectivos coletivos. A roda de conversas tem por objetivo a construção democrática do Plano de Ação a partir de demandas das Comunidades no que se refere  aos obstáculos para a inclusão social e produtiva dos afro-religiosos no mundo do trabalho: preconceito, racismo, intolerância e discriminação, e os modos de prevenir e combater tais práticas.

Organizações pela cultura de paz e, principalmente, organizações de Comunidades e Povos Tradicionais de Terreiros fazem hoje, 21 de janeiro, atos e mobilizações pelo Dia Nacional de Combate à Intolerância Religiosa. Em 2007, o dia 21 de janeiro foi instituído como a data de Combate à Intolerância Religiosa, em reflexão e memória da Ialorixá Gildásia dos Santos – vítima de um dos casos mais drásticos de intolerância que a história brasileira conheceu.

O crime começou em outubro de 1999, quando O jornal Folha Universal estampou em sua capa uma foto de Mãe Gilda – trajada com roupas de sacerdotisa para ilustrar uma matéria com título: “Macumbeiros charlatões lesam o bolso e a vida dos clientes”. Sua casa foi invadida, seu marido foi agredido verbal e fisicamente, e seu Terreiro foi depredado por evangélicos. A Ialorixá não suportou os ataques e, após enfartar, faleceu em 21 de janeiro de 2000.

Serviço

RODA DE CONVERSA COM OS TERREIROS – dia 28 de janeiro – 9 horas

LOCAL:  PROCURADORIA REGIONAL DO TRABALHO DA 5ª REGIÃO

Av. Sete de Setembro, nº 308 – Corredor da Vitória – Salvador – BA

Deixe uma resposta