Mônica Salmaso apresenta o show ‘Caipira’ no Theatro Net Rio

Mônica Salmaso vai ao Rio para apresentar as composições de seu último álbum, “Caipira”. A cantora paulista sobe ao palco do Theatro Net Rio na segunda-feira, dia 3 e na terça-feira, 4 de junho, às 21h.

Os ingressos estão à venda pela internet e também na bilheteria do teatro com valores a partir de R$30. Não deixe de confirmar presença no evento oficial do Facebook!

 Mônica Salmaso faz duas apresentações no Rio

O novo trabalho acumula 14 faixas produzidas por Teco Cardoso e pela própria Mônica com composições de autores como Paulo César Pinheiro, Sérgio Santos, Roque Ferreira, Gilberto Gil, Rafael Alterio e Cartola. O universo caipira foi a principal inspiração para o trabalho, solo de um Brasil profundo onde se descortinam as verdadeiras origens da música brasileira. Escute o álbum completo aqui.

SAIBA MAIS.:  Primeira escola de inglês gratuita para negros está com as inscrições abertas

Entre os destaques do disco estão “Caipira”, parceria de Breno Ruiz com o veterano Paulo César Pinheiro, que intitula e abre o 11º álbum da cantora; “Saracura Três Potes”, parceria de Candido Canela com Téo Azevedo e interpretada junto com Rolando Boldrin; “Água da Minha Sede”, de Dudu Nobre e Roque Ferreira – gravada também por Zeca Pagodinho e Roberta Sá – e “Bom Dia”, parceria de Gilberto Gil e Nana Caymmi.

+ entrevista:

Veja também: Mônica Salmaso explora lado caipira de Cartola em novo álbum

SAIBA MAIS.:  Fórum sobre samba e mídias digitais lota auditório do Inovabra em SP

Além de exaltar a herança deixada pelo mestre do samba em “Feriado na Roça”, uma composição pouco conhecida de Cartola, Mônica também se propôs valorizar os costumes, tradições e trejeitos que sobrevivem há gerações nas entranhas do país. Em “Alvoradinha”, a cantora rememora tradições orais do grupo Caixeiras do Divino do Maranhão; e em “Leilão”, dos experientes Hekel Tavares e Joracy Camargo, narra um triste episódio do sistema escravista brasileiro.

Mais sobre Mônica

Com 11 discos na bagagem e mais de 20 anos de carreira, a cantora despontou no cenário musical nos anos 1990 com uma participação no álbum “Eduardo Gudin & Notícias dum Brasil”. Em 1995, com “Afro-sambas”, de Baden Powell e Vinicius de Moraes, Mônica fez sua opção definitiva pela música tornando-se uma das principais intérpretes da cena contemporânea.

SAIBA MAIS.:  Paella de frutos do mar é atração no cardápio do Peixaria na Vila Madalena

Deixe uma resposta