Na África do Sul, pai vivendo com HIV ganha fôlego para criar filho

https://www.youtube.com/watch?v=LAcGh2jXkmk

No Dia Mundial contra a AIDS, marcado todo 1° de dezembro, um novo relatório das Nações Unidas mostrou que os esforços intensivos em relação aos testes e ao tratamento estão alcançando mais pessoas vivendo com HIV. O relatório destacou que três quartos das pessoas vivendo com HIV conheciam seu status sorológico em 2017, comparado a apenas dois terços em 2015, e 21,7 milhões de pessoas vivendo com HIV – ou 59% – tiveram acesso à terapia antirretroviral, contra 17,2 milhões em 2015. Thobani Ncapai vive em Khayelitsha, uma cidade na província do Cabo Ocidental, na África do Sul. Ele descobriu que era soropositivo em 1997. Na época, disse que não tinha informações sobre o HIV e estava com medo de não ver seu filho crescer. Ele disse que a maioria dos homens em sua comunidade não quer fazer o teste de HIV, classificando a questão como “um grande problema”. Em 2001, ele estava perdendo muito peso e se sentindo mal, se tornando a primeira pessoa em sua cidade natal a iniciar o tratamento do HIV. Hoje, tem esperança no futuro. Acompanhe o tema: bit.ly/aidsonu e www.unaids.org.br

Deixe uma resposta