“O racismo é uma coisa rara no Brasil”, diz Bolsonaro em entrevista

Em um país onde o salário médio dos negros equivale a  53% do salário dos brancos e onde 71% das vítimas de homicídios são negras, o presidente do Brasil ousa dizer que “O racismo é uma coisa rara no Brasil”.

A declaração que visa minimizar o racismo estrutural presente no Brasil foi dita nesta terça-feira (07), no programa da apresentadora Luciana Gimenez, na Rede TV.

Reprodução/RedeTV

O tom da entrevista foi bem informal. A apresentadora e o presidente falaram muito mais sobre amenidades do que sobre política. O capitão da reserva disse que não ser racista pois, na década de 70, teria “salvado” um colega negro do Exército de se afogar. Na sequência, disparou: “No Brasil é uma coisa rara o racismo. O tempo todo tentam jogar o negro contra o branco”.

SAIBA MAIS.:  Podcast: Pequena África

No início da conversa, Bolsonaro chegou a agradecer Luciana Gimenez pelo espaço que teve em seu antigo programa, o “Superpop”, quando ganhou projeção nacional. “Agradeço a liberdade que me deu lá”.

Um dos poucos momentos em que Bolsonaro falou sobre política foi quando Luciana Gimenez, citou a reforma da Previdência. O presidente se limitou a dizer: “Se não aprovar, o Brasil quebra, infelizmente”. Sem se aprofundar sobre o que realmente é esta reforma.

SAIBA MAIS.:  “Para eles uma mulher negra nunca poderia questionar um homem branco”, diz deputada que denunciou governador do Rio à ONU

Notícia Preta

Deixe uma resposta