Prof. Dr. Babalawô Ivanir dos Santos presente na inauguração de LASUCAS, na Nigéria.

Com uma delegação composta por intelectuais negros, cineastas e religiosos, o Prof. Dr. Babalawô Ivanir do Santos está na Nigéria acompanhando um grupo com brasileiros para um incursão religiosos, intercâmbios culturais e acadêmicos entre o Brasil e a Nigéria.
E uma das primeiras atividades desse grupo, foi a participação da inauguração Centre for Afrobrazilian Studies, da Faculty of Arts de Lagos State University (LASUCAS), na cidade de Lagos, na Nigéria.
Não poderia ter sido uma recepção mais calorosa, a abertura foi marcada pela apresentação do hino da Nigéria, do Brasil e da Universidade. A mesa de convidados, foi composta com Gel. Ishola Williams – Executive Strategic and Policy Research Group – Panafstrag, Prof. Dr. Harrison Adeniyi – especialista na área de linguística e da língua yorubá e Reitor LASUCAS, Prof. Vice Reitor Olanrewaju Adigun Fagbohun, do Cônsul brasileiro na Nigéria – Flávio Bonzanini, Sra. Bello Aderonke (Biblioteca de LASU) e Prof. DrBabalwô Ivanir dos Santos. (UFRJ/CEAP). Também importante presença do Sr. Graciano Oladipupo Martins – descendente Bamgbose na Nigéria e presidente Brazilian Descendants Union, assim como Asiwaju Charles Mendes, líder da comunidade brasileira, em Lagos. Após um breve pronunciamento das autoridades, onde era visível a satisfação da valorização, respeito e reencontro com a cultura tradicional yorubá nigeriana.
“Essas interfaces entre o Brasil e Nigéria é de suma importância para as nossas comunidades negras em diáspora no mundo. Tenho a mais absoluta certeza vamos cada vez mais fortalecer os nossos laços culturais, religiosos e intelectuais. Somos parte do continente africano! E precisamos deixar para as gerações sucessoras toda a potencialidade das nossas tradições, pois só assim, vamos possibilitar um verdadeiro renascimentos dos elos africanos e afro-diaspóricos”. Ressaltou Ivanir dos Santos.
Graciano Martins, nos auge dos 87 anos, fez questão de afirmar “Nossa cultura tem força e muita história, há que ser fazer perpetuar”.
Na ala cultural, apresentação Interlude, dupla de estudantes de língua portuguesa da LASU. Em seguida, apresentação do grupo do Theatre Arts Department. Uma série de alunos da universidade sob a coordenação da coreógrafa Dra. Yeside Dosunmu, com uma contagiante performance de danças tradicionais do Festival de Eyo, que acontece anualmente na cidade de Lagos. Os percussionistas deram um show nos atabaques, a grata surpresa ficou por conta da samba “Bafo da Onça”, gravado pela cantora Bete Carvalho, que embalou e empolgou nigerianos e brasileiros, que dançaram juntos. Fotos de Rozangela Silva

SAIBA MAIS.:  Convite a Popular Ação em Plano de Ação Popular internacional

Deixe uma resposta