Veja o que aconteceu na semana nacional de combate à intolerância religiosa no Rio

Quando amigos compartilham de mesmo ideal: Do direito à fé e o respeito ao próximo

Mais que movimento inter-religioso, uma perfeita harmonia de ideologias diversas, esse é o resumo das atividades na SEMANA NACIONAL DE COMBATE À INTOLERÂNCIA RELIGIOSA, orquestrada pelo Prof. Dr. (UFRJ) Babalawô Ivanir dos Santos.

Mas o que chamou mais atenção foi o fala emocionada do Pastor Kleber Lucas, dirigente da Igreja Batista Soul, na Barra (que recebe em torno de 500 pessoas nos cultos), ao relatar infância simples, mas acolhido por representantes evangélicos e de matriz africana. Mas o ápice ficou com a música cantada por Kleber e Tunico da Vila (adepto do candomblé) e com o DNA gritante, leia-se filho do Martinho (canta, anda, fala, jeito.. igualzinho ao pai), que embalaram “Andar com Fé“ de Gilberto Gil, a platéia se esbaldou. Sem falar na integração na abertura com do coral yorubá e Duo Szpilman (músicos judeus),Cia Musical Awurê, trazendo canções em yorubá, ogan Kotoquinho, Grupo Awurê e Mário Broder também mandaram ver no palco, no Festival Cantando a Gente se Entende, no Oi Casa Grande, Leblon. Todos saíram de alma lavada, abençoados e encantados…

Ainda sobre a SEMANA NACIONAL DE COMBATE À INTOLERÂNCIA RELIGIOSA, outro momento marcante, aconteceu no salão nobre, que estava lotado, no IFCSs, Centro.

“A intolerância religiosa no Brasil é, praticamente contra o espiritismo, pelo medo que causam as reencarnações. O catolicismo também é agredido por causa do culto à imagens de santos e de Nossa Senhora, porém os intolerantes são mais raivosos contra as religiões de origem africana. Neste caso, a intolerância vem embutida de racismo por causa do culto aos ancestrais”, essa foi a fala do músico Martinho da Vila, ao participar na mesa de debate com o tema “Culturas afro-diasporicas no combate à intolerância religiosa e o racismo”.

E assim, uma série de atividades, no Rio, comandados pela CCIR e CEAP – criaram para atentar sobre a necessidade de se respeitar a diversidade religiosa.

Nas fotos: Martinho da Vila com a escritora Helena Theodoro (acabou de lançar um livro o músico) e Ivanir dos Santos / Foto de Vanor Correia. E Tunico da Vila, Ivanir dos Santos com Kelber Lucas / Foto de Henrique Esteves.

Deixe uma resposta